Qual o papel de uma comercializadora de energia e suas funções?

imagem Qual o papel de uma comercializadora de energia e suas funções?

A compra e a venda de energia são comuns entre os consumidores de grande porte. Contudo, as empresas que buscam uma gestão eficiente dessas negociações muitas vezes precisam de um suporte especializado. É nesse ponto que geralmente buscam uma comercializadora de energia.

As organizações interessadas em reduzir suas despesas com energia têm a opção de migrar para o Ambiente de Contratação Livre (ACL), também conhecido como Mercado Livre de Energia, onde podem negociar condições contratuais favoráveis e obter controle sobre seus custos de energia elétrica. Mas, para isso, é preciso contratar uma comercializadora de energia.

Tem interesse em saber mais sobre as funções de uma comercializadora e como escolher uma? Continue a leitura para tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto!

O que é uma comercializadora de energia?

A comercializadora de energia é uma empresa que atua como intermediadora de negociações de compra e venda de energia elétrica entre diferentes agentes do mercado, no âmbito do Mercado Livre.

Na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o Comercializador é o agente responsável por intermediar a compra e venda de energia elétrica entre geradores, distribuidores, consumidores e outros agentes do Mercado Livre de energia elétrica.

O Comercializador pode atuar como intermediário na negociação de contratos bilaterais de compra e venda de energia elétrica, como também pode atuar na compra e venda de energia elétrica em nome próprio, assumindo riscos e responsabilidades pelo balanço de energia elétrica e pela liquidação financeira das operações realizadas no mercado.

Modalidade varejista

Além da modalidade padrão de comercializadora, há também a modalidade varejista. O comercializador varejista é o agente responsável por representar consumidores e geradores de energia junto à CCEE, facilitando e ampliando sua atuação no Ambiente de Contratação Livre (ACL).

O comercializador varejista simplifica o cadastro dos representados na CCEE e assume todas as obrigações relacionadas a ela.

Assim, os consumidores aptos à aquisição de energia no Mercado Livre e os detentores de concessão, autorização ou registro de geração não comprometidos com contratos específicos, podem ser representados por um comercializador varejista.

O varejista pode ser uma empresa de geração ou um comercializador. Ele deve aderir à CCEE e cumprir os requisitos técnicos-operacionais, comerciais e financeiros estabelecidos nos Procedimentos de Comercialização. Suas atribuições incluem recolher contribuições e emolumentos, atender auditorias, lidar com processos de medição, contabilização e liquidação financeira, repassar descontos, assumir penalidades e encargos.

Como funciona o acesso ao ACL no Brasil?

Atualmente, no Brasil, podem acessar o Ambiente de Contratação Livre (ACL) os consumidores que possuem demanda contratada igual ou superior a 500 kW. Esses consumidores podem escolher livremente seu fornecedor de energia elétrica e negociar as condições de contrato, como preço e fonte de energia.

A partir de janeiro de 2024, a ANEEL estabeleceu que todos os consumidores em média tensão poderão migrar para este ambiente, o que permitirá que um número maior de consumidores tenha acesso ao ACL. Com essa mudança, espera-se que o Mercado Livre de energia elétrica cresça no Brasil e mais empresas possam aproveitar as oportunidades de negociação e contratação de energia elétrica no Mercado Livre.

No entanto, é importante destacar que a migração para o ACL exige uma análise cuidadosa dos custos e riscos envolvidos na operação, além de exigir que o consumidor tenha uma estrutura para gerenciamento de contratos e operação no Mercado Livre.

Por isso, é fundamental que as empresas avaliem todas as opções disponíveis e busquem o suporte de especialistas em energia antes de decidir pela migração para o Mercado Livre.

Qual a origem das comercializadoras de energia e por que elas estão crescendo?

No Brasil, as primeiras comercializadoras de energia surgiram em 1998, com a criação da Tradener, primeira empresa autorizada a atuar no Mercado Livre. A Tradener inicialmente atuava como intermediária de negociações e, mais tarde, tornou-se um player do mercado.

Com o passar do tempo, as comercializadoras de energia se expandiram significativamente no país. Do ano de 2021 para 2022, surgiram 49 novas comercializadoras de energia brasileiras, o equivalente a 4 novas empresas por mês, segundo dados da Abraceel (Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia).

Esse crescimento tem acontecido devido à expansão do número de participantes do Mercado Livre. Quanto maior for o número de agentes, maior será a necessidade de intermediadores em negociações de compra e venda de energia elétrica.

E os números falam por si: a participação do Mercado Livre já representa 38% do volume total de energia consumido no Brasil, segundo dados recentes da Abraceel. Com isso, espera-se que as comercializadoras de energia continuem se destacando pela flexibilidade e competitividade que oferecem aos consumidores e produtores de energia.

Qual o papel de uma comercializadora de energia e suas funções?

Uma comercializadora de energia é responsável por uma série de funções técnicas e estratégicas para garantir um fornecimento de energia elétrica para seus clientes. Abaixo, detalhamos algumas das funções desempenhadas por uma comercializadora:

Estudos técnicos

Uma comercializadora de energia realiza estudos detalhados para compreender o perfil de consumo de energia de cada cliente. Isso envolve analisar o histórico de consumo, identificar os horários de maior demanda, avaliar a potência contratada, e identificar possíveis oportunidades de otimização do consumo.

Análise de viabilidade

Com base nos estudos técnicos realizados, a comercializadora realiza uma análise de viabilidade para identificar as melhores estratégias de fornecimento de energia elétrica para cada cliente.

Estudo do mercado

A comercializadora de energia também monitora constantemente o mercado de energia elétrica, analisando as condições de oferta e demanda, as tendências de preços, as mudanças regulatórias, entre outros fatores que influenciem na estratégia de fornecimento de energia para seus clientes.

Análise regulatória

Uma comercializadora de energia deve acompanhar de perto as mudanças regulatórias no setor elétrico, garantindo que seus clientes estejam conforme as obrigações e regulamentações vigentes.

Responsabilidades financeiras

As comercializadoras varejistas ainda possuem um papel adicional referente às obrigações financeiras. Ao migrar para o Mercado Livre de energia, as empresas são consideradas consumidores de energia elétrica e, portanto, têm responsabilidades financeiras em relação à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica se optarem por contratar energia elétrica no Mercado Livre de energia.

Para cumprir essas obrigações financeiras, as empresas devem realizar pagamentos mensais à CCEE, referentes aos valores correspondentes aos encargos e obrigações setoriais.

Esses valores são calculados com base na demanda de energia elétrica contratada pela empresa e nas condições do mercado de energia elétrica. Na modalidade varejista, a comercializadora assume essas responsabilidades, reduzindo a burocracia para o cliente final.

Registro do contrato na CCEE após adesão

Após a adesão a um contrato de fornecimento de energia no Mercado Livre, a comercializadora de energia realiza o registro do contrato na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, responsável por gerenciar e garantir a eficiência e a transparência nas transações comerciais de energia elétrica no Brasil.

Relatórios atualizados

A comercializadora de energia fornece relatórios atualizados aos seus clientes, com informações detalhadas sobre o consumo de energia elétrica, as tarifas praticadas, os custos, as mudanças regulatórias, e outras informações relevantes para a gestão eficiente do consumo de energia.

Acompanhamento das etapas do fornecimento de energia

Uma comercializadora de energia oferece suporte e acompanhamento durante todas as principais etapas do contrato de fornecimento de energia elétrica.

O acompanhamento vai desde a negociação do contrato, o registro na CCEE, o monitoramento do consumo de energia e a gestão de demanda até o acompanhamento de eventuais mudanças regulatórias que possam afetar o contrato.

Como contratar uma comercializadora de energia?

A migração para o Mercado Livre pode ser facilitada por uma comercializadora de energia. Com essa parceria, é possível ter o suporte de profissionais para obter a documentação necessária, lidar com os trâmites junto à distribuidora e garantir a contratação de energia mais vantajosa para a sua empresa.

No entanto, algumas medidas devem ser consideradas no momento de escolher a empresa que dará todo o suporte necessário nas negociações de compra de energia elétrica. Continue e veja nossas dicas de como contratar uma comercializadora de energia.

Conhecer a credibilidade da empresa

Avalie a experiência e a credibilidade da comercializadora no mercado de energia. Verifique o histórico da empresa, sua reputação, clientes atendidos e tempo de atuação no setor. Escolher uma empresa com sólida experiência e reputação estabelecida pode garantir uma parceria confiável e segura.

Priorizar o controle do orçamento

Escolha uma comercializadora que te auxilie no correto dimensionamento e contração do contrato de energia no longo prazo para trazer previsibilidade e evitar sobras e faltas energéticas ao final de cada período, evitando custos extras pela necessidade de compra de energia no curto prazo.

Negociar contratos personalizados

Busque uma comercializadora que ofereça flexibilidade na personalização dos contratos, incluindo a possibilidade de fixar o preço da energia durante a vigência do acordo. Isso pode proporcionar estabilidade e previsibilidade nos custos de energia, evitando surpresas desagradáveis no orçamento mensal.

Por que contar com a GreenYellow?

A GreenYellow é a escolha ideal de comercializadora de energia para empresas que querem aproveitar as oportunidades do setor elétrico

Com a abertura do Mercado Livre de Energia para todos os consumidores em média tensão a partir de janeiro de 2024, muitas empresas precisarão contar com uma comercializadora para migrar e aproveitar os benefícios desse mercado.

É aí que a GreenYellow entra em cena, oferecendo soluções completas e personalizadas para auxiliar as empresas nessa transição.

Uma das principais vantagens de escolher a GreenYellow como sua comercializadora de energia é o seu amplo conhecimento e experiência em estudos técnicos, análise de viabilidade e estudo de mercado.

Além disso, a GreenYellow fornece relatórios atualizados, permitindo que as empresas acompanhem seu consumo de energia, identifiquem oportunidades de redução de custos e tomem decisões informadas para a gestão de energia, além da possibilidade de redução no custo de energia para até 20%.

As comercializadoras de energia elétrica desempenham um papel fundamental na gestão energética das empresas, mas, para aproveitar todos os benefícios do setor elétrico, é crucial contar com uma comercializadora experiente e com credibilidade no mercado.

Conte com a GreenYellow! Entre em contato conosco e descubra como podemos ajudar sua empresa a economizar energia e obter resultados sustentáveis.

Posts relacionados

Case de sucesso de empresa sustentável: conta de energia em baixa na Rede Assaí

Case de sucesso: eficiência energética inteligente para o Grupo Casas Bahia

O papel das empresas na luta contra as mudanças climáticas

Transforme seu negócio com o marketing verde: descubra o que é, vantagens e exemplos

Economizar energia com inovação: o impacto das soluções de eficiência energética na Leroy Merlin

Eficiência energética na indústria: confira as tendências do setor

GreenYellow fecha parceria com Enerzee para expandir atuação no mercado de telhados C&I